Ouça Orli Ricardo

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

APAE desenvolve programa na prevenção de deficiências

Profissionais da entidade estão mobilizados para atender a comunidade
Avaliações ocorrem nas quintas-feiras
O Senso 2010 do IBGE aponta que, dos mais de 30 mil habitantes de Campos Novos, cerca de 600 deste total são portadores de alguma deficiência. Tendo em vista, que cada uma destas pessoas possui a sua limitação específica, todas elas necessitam de uma atenção especial, sobretudo profissional, entretanto, apenas 100 pessoas, ou pouco mais de 15% delas recebem um acompanhamento específico.

Como em qualquer tratamento, a identificação precoce da deficiência pode determinar na recuperação do paciente. Estudos apontam que 70% dos casos podem ser prevenidos. Portanto, quanto mais cedo o diagnóstico, mais cedo se dará o processo de melhora.

Para tanto, a FENAPAES (Federação Nacional das APAES) está com um programa de divulgação que visa conscientizar os pais, quanto à avaliação física e metal de seus filhos. Caso os pais notem alguma anormalidade no desenvolvimento das crianças, eles podem encaminhá-las para uma Unidade da APAE, para que sejam observadas por profissionais especializados.

Atendimento na APAE de Campos Novos

Segundo Gleice Aparecida dos Santos, psicóloga na APAE Clínica de Campos Novos, todas as quintas-feiras há uma significativa demanda de atendimento de avaliações de alunos das escolas regulares de todos os municípios que compõem a região da AMPLASC.

Os alunos são encaminhados para clínica em virtude de suspeita ou queixa de baixo rendimento, bem como, o comportamento na escola que pode vir a ser algum tipo de deficiência mental.

Neste ano, a APAE Clínica de Campos Novos teve em torno de 50 avaliações, obtendo na metade delas o diagnóstico de doença mental (leve, moderada e grave). As demais crianças que apresentaram atrasos, foram encaminhadas para as unidades competentes, até mesmo para diferentes setores da APAE clínica. “É feita uma avaliação multiprofissional para se chegar ao diagnóstico de inserção ou não, ou o melhor encaminhamento deste aluno”, explica Gleice.

Para o fisioterapeuta Robson Santos Ferreira Jr, que também atende na APAE Clínica, existem vários fatores que podem ser causadores de deficiência. “Doenças sexualmente transmissíveis; por parte das mães, prevenção mal feita, a rubéola, hipertensão, fumo, álcool, deficiências nutricional, pais consangüíneos e, sorologia, sangues não compatíveis”, explicou.

Segundo estudos, a falta de estímulo da criança pode ocasionar o atraso do desenvolvimento dela e transtornos cognitivos, quanto mais tarde o estímulo acontecer é pior o desenvolvimento neuropsicomotor. “Qualquer nível de dificuldade ele pode ser melhorado. No caso da criança, ela se desenvolve de maneira mais rápida. Mas, é importante pelo fato da sociabilidade, o fato da preparação para inserção dele à sociedade”, finalizou Robson.

Atualmente a APAE de Campos Novos conta com três fisioterapeutas, duas psicólogas, uma fonodióloga, duas terapeutas ocupacionais e, uma assistente social, que fazem este trabalho conjunto de estimulação com a criança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente aqui

No seu rádio