Ouça Orli Ricardo

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Falso advogado é liberado, mas volta a ser preso horas depois

Marcelo Paitinger de Figueiredo tinha mandado de prisão no Rio Grande do Sul
Marcelo foi transferido na tarde desta quinta-feira para o presídio de Lages
(Foto: Vani Boza - Agencia RBS)
Um homem que atuava como falso advogado em pelo menos seis municípios de SC, como Tangará e Campos Novos, foi preso na tarde de quarta-feira, 24/10, em Lages, na Serra Catarinense. O acusado, Marcelo Paitinger de Figueiredo, de 32 anos, havia sido detido por usar o nome de João Marcelo Mariense, advogado em Porto Alegre (RS), mas foi liberado ainda no mesmo dia. E enfim, na madrugada desta quinta-feira, voltou a ser preso.

O delegado Raphael Bellinati explica que não pôde efetuar a prisão em flagrante na quarta-feira porque, segundo ele, falsa identidade é considerado crime leve e exercício ilegal da profissão é contravenção penal, com penas inferiores a dois anos. Porém, após a liberação de Marcelo, a polícia descobriu que na Comarca de Getúlio Vargas, no Rio Grande do Sul, ele já tinha três condenações por estelionato e um mandado de prisão em aberto, sendo que teria cumprido apenas uma parte da pena e era considerado foragido desde 2009.

Na madrugada desta quinta-feira a polícia efetuou a nova prisão de Marcelo, que agora ficará no Presídio Masculino de Lages à disposição da Comarca de Getúlio Vargas, que poderá transferi-lo a qualquer momento para o Rio Grande do Sul. O delegado disse ainda que, após a divulgação do caso pela imprensa, vários clientes de Marcelo foram até a delegacia para registrar boletins de ocorrência contra o falso advogado, e que agora um inquérito especial será aberto para investigar os crimes de estelionato e falsidade ideológica. “Esse inquérito deverá, posteriormente, virar uma ação judicial que vai gerar mais pena. Somaremos as condenações e Marcelo deverá cumprir tudo no Rio Grande do Sul”, afirmou o delegado.

Sobre os casos que Marcelo ganhou na justiça, o conselheiro estadual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcelo Menegotto, afirma que serão todos anulados. Além do caso de Lages, o suspeito tem mais 18 passagens pela polícia por vários outros crimes cometidos em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.

//
Fonte: Diário Catarinense

2 comentários:

  1. MAIS UM KE ME LEVOU NO BICO

    ResponderExcluir
  2. Só o que faltava; falso advogado que ganha causas de advogados e promotores graduados e aprovados na OAB. Como vai o nível do ensino do direito ?

    ResponderExcluir

comente aqui

No seu rádio