Ouça Orli Ricardo

terça-feira, 10 de julho de 2012

SC tem o melhor índice de vacinação contra poliomielite do país



Em Abdon Batista a estatística foi ainda superior à média registrada no Estado

Santa Catarina aplicou 415.548 doses de vacina durante a Campanha de Vacinação contra a Poliomielite, atingindo o melhor índice de imunização do Brasil e superando 100% de cobertura. A estimativa de público alvo para a campanha era de um total de 411.967, calculada com dados de 2010, mas o estado catarinense encerrou a primeira etapa da Campanha superando esse número em 3.617 crianças. De acordo com o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações - Sipni, o Estado já tinha sido o primeiro do país a ultrapassar a meta inicial de cobertura Ministério da Saúde, 95% das crianças menores de 5 anos. O índice nacional chegou a 94,43%.

O número final de crianças vacinadas supera a estimativa porque é calculado com base no Sistema de Informações de Nascidos Vivos, para menores de um ano, e pelo Censo 2010 para as demais idades. Santa Catarina termina a campanha, que se encerrou na última sexta-feira, 06, seguida de perto apenas por Goiás, que obteve 99,39% de cobertura vacinal. A Campanha Nacional contra a Poliomielite, ou paralisia infantil, teve início no dia 16 de junho, com o objetivo de imunizar em todo o país mais de 14 milhões de crianças com menos de 5 anos de idade.

Em Campos Novos o índice foi satisfatório, porém não alcançou a média estadual. Num total, foram 97,44% das crianças do município vacinadas. Em Abdon Batista, município com pouco menos de 3 mil habitantes, a estatística foi ainda superior à média registrada no Estado. O número total chegou a 121,82% de crianças menores de 5 anos que receberam a vacina.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa causada pelo poliovírus, e atinge principalmente crianças. A maior parte das infecções é assintomática. Quando ocorrem, os sinais são parecidos com os de outras doenças virais, como gripe, febre e dor de garganta, náusea, vômito, constipação, dor abdominal e, raramente, diarreia. Cerca de 1% dos infectados pode apresentar paralisia nos membros inferiores, cuja principal característica é a perda de força muscular e dos reflexos. Com a realização das campanhas, o Brasil está há 23 anos livre da doença.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente aqui

No seu rádio