Ouça Orli Ricardo

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Jogadora Natália de Joaçaba embarca para sua Primeira Olimpíada


Natália em ação pela seleção brasileira

A ponteira Natália, que defende a Unilever, é uma daquelas pessoas de bem com a vida. E provou isso durante o seu período de recuperação após passar por duas cirurgias na canela esquerda, que a deixaram sem jogar a última temporada pelo clube carioca.

Recuperada, a jogadora embarca neste sábado rumo a Londres para a disputa de sua primeira Olimpíada. Depois do último treino em Saquarema, na quinta-feira, Natália era só otimismo.

— Fizemos os últimos ajustes e posso dizer que tenho me sentido super bem. Esse último treino no Brasil foi o melhor desde que comecei a saltar — comemorou a jogadora, que integrará pela primeira vez a Seleção Brasileira em Jogos Olímpicos.

— É um sonho que está se realizando. Vou poder sentir o gostinho de disputar uma Olimpíada. Estou melhor a cada dia, praticamente sem qualquer incômodo na região operada, e quero ajudar minhas companheiras a buscar o bi olímpico em Londres — definiu a jogadora de 23 anos.

Histórico da Lesão e a Volta por cima de Natália 

Natália foi operada pela primeira vez em junho de 2011 para a retirada de um tumor benigno da canela esquerda. Ela se recuperava bem, mas o tumor voltou, uma recidiva, de acordo com a explicação médica. Foi feita uma série de exames e constatada a necessidade de nova intervenção.

A segunda cirurgia foi realizada no último dia 20 de dezembro, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, pelo médico Reinaldo Jesus Garcia. Durante a operação, foi feita a retirada do tumor e colocado enxerto ósseo no local. O osso foi fixado com haste de titânio, o que permitirá melhor reabilitação e ajudará a evitar fratura.

Natural de Ponta Grossa, no Paraná, Natália começou a jogar vôlei nas categorias de base do AJOV, em Joaçaba (SC), no Meio-Oeste de Santa Catarina. Passou por Campos e Macaé e, com apenas 16 anos, foi contratada pela equipe adulta de Osasco. Aos 17, já defendia o clube na Superliga Feminina como titular.

Com a Seleção Brasileira infanto-juvenil, foi campeã sul-americana em 2004 e Mundial em 2005. Como juvenil, repetiu os dois títulos. Foi campeã continental em 2006 e Mundial em 2007 (eleita a melhor jogadora da competição). Foi convocada pela primeira vez para a seleção adulta na Copa dos Campeões de 2005.

Fonte: Zero Hora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente aqui

No seu rádio