Ouça Orli Ricardo

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Quatro PMs são Presos em Operação da Polícia Civil no combate ao tráfico de drogas


No total 30 pessoas foram presas na Operação "Proditor"
Depois de cerca de 250 dias de investigações para combater o tráfico de drogas na região, na noite desta sexta-feira (22) e manhã de sábado (23), a Polícia Civil deflagrou a Operação “Proditor”, em três cidades do Meio-Oeste Catarinense: Caçador, Lebon Regis e Curitibanos. Os trabalhos resultaram no cumprimento de 30 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão, além de 5 autos de prisão em flagrante. No total, 30 pessoas foram presas, por tráfico de drogas, formação de quadrilha ou porte ilegal de arma de fogo. Entre os presos estão um agente prisional, que chefiava a segurança do Presídio da cidade, além de quatro Policiais Militares.

Os funcionários públicos foram presos por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Eles se aproveitavam do privilégio profissional e do cargo que ocupavam para repassarem informações aos traficantes da região ou desenvolviam ações para prender somente os integrantes das quadrilhas concorrentes ou que deviam para o grupo. Por isso, o nome “Proditor” para a Operação, que em Latim significa traidor. Todas as prisões dos Policiais Militares foram executadas pelo Gaeco- Grupo de Atuação Especializada em Combate ao Crime Organizado- e pela Corregedoria da Polícia Militar.

Foram presos os seguintes Policiais Militares: Laudemir Domingues, Leocir André Maurina, Leonardo Andriguetti e Fabio Masaroli, além de Mauro Vieira, Agente Prisional.  Além deles, no bairro Aeroporto em Caçador e nas cidades de Curitibanos e Lebon Regis foram presos por tráfico, associação para o tráfico ou porte ilegal de arma de fogo as seguintes pessoas: Aline Bevilaqua, 26 anos, Ilda de Lourdes Barreto Santos e Mauro Lourenço Albert, de 30 anos.

No fim da manhã os Policiais também cumpriram outros dois mandados de prisão e conduziram à DIC de Caçador, Cleber Floriano Bueno, vulgo “Bodão” , Célio Martins Santos, vulgo “Pinguim” e Felipe Carlos Padilha Szast, vulgo “Fio”. Uma conhecida advogada da região, Marcia Helena da Silva, também foi presa por acobertar os traficantes locais.

O esquema criminoso

Depois da morte do marido em confronto com a Polícia em 2011, Adelita Aparecida Regis assumiu o tráfico de drogas na região. O comércio dos entorpecentes era feito principalmente numa casa de prostituição, da qual ela era proprietária. Os Policiais Militares que foram presos garantiam o funcionamento do esquema criminoso, tanto delatando para a própria polícia somente as quadrilhas concorrentes ou que não quitavam as dívidas com o grupo, como também, repassando informações sigilosas sobre possíveis operações nas casas onde o praticavam o comércio de drogas.

 Uma advogada da região, Marcia Helena da Silva, também dava cobertura à ação criminosa do grupo e foi presa em flagrante. Na casa dela, foram apreendidas duas armas de fogo.

Os trabalhos foram coordenados pelos Delegados Laurito Akira Sato da DEIC- Diretoria Estadual de Investigações Criminais- e Daniel Regis, da Divisão de Investigações Criminais (DIC) de Caçador. Participaram da Operação mais de 120 Policiais Civis das Divisões de Investigações Criminais (DICs) ou Delegacias das seguintes cidades: Balneário Camboriú, Curitibanos, São Miguel, Porto União, Chapecó, Itapema e Florianópolis. Também participaram os canis Regionais de Florianópolis, São Lourenço do Oeste, além de Policiais da DEIC. Os trabalhos foram acompanhados pelo Gaeco, Corregedoria da Polícia Militar e Promotores de Justiça de Comarcas da região.
  
No fim da tarde de sábado, dois presos foram trazidos para a sede da Deic em Florianópolis, sendo a advogada Marcia Helena da Silva e o agente prisional Mauro Vieira.

Com Informações e fotos: Polícia Civil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente aqui

No seu rádio