Ouça Orli Ricardo

sábado, 26 de maio de 2012

Primeiro tempo de muita aplicação tática garante vitória à renovada Seleção Brasileira contra Dinamarca


Passistas Brasileiras ditam o ritmo
do jogo em Hamburgo

 No ritmo de carnaval, a Seleção Brasileira fez um belo primeiro tempo contra a Dinamarca, em Hamburgo, na Alemanha. Nos primeiros 45 minutos a equipe de Mano Meneses fez três gols, dois do atacante Hulk e um anotado contra pelo marcador dinamarquês Zimling. Mas o que chamou atenção mesmo foi a aplicação tática da jovem seleção.
  Os comandados do Mano foram extremamente obedientes no esquema tático, marcaram muito a saída de bola dinamarquesa, o que resultaria em dois gols para o Brasil. Além da forte marcação por parte dos dez homens de linha, a habilidade de Oscar e Lucas na frente fez a diferença. A Dinamarca que fazia um jogo preparatório para a Euro, não conseguiu pôr em prática seu futebol, a posse de bola pouco ficou nos pés dos europeus.
   A maioria dos selecionados do Brasil eram jovens com idade olímpica, detalhe, Neimar e Ganso ficaram fora deste confronto. Paulo Henrique Ganso que sofrerá intervenção cirúrgica deu lugar a Oscar do Internacional, ou seria do São Paulo? Isso eu não sei dizer, é outra história! O que se sabe é que o meia herdou a camisa 10, que um dia foi de Pelé e não sentiu o peso.
Oscar e Hulk os destaques do Jogo. Damião não estava nos seus melhores dias.
  Aliás, Oscar teve uma apresentação que há muito tempo não se via num camisa 10 da seleção, inclusive superou as atuações de PH Ganso, que até agora não deslanchou com a amarelinha. O meia colorado ocupou muito bem o meio de campo, driblou, distribuiu bem as jogadas,  criou oportunidades de gols e deixou seus companheiros soltos no ataque.
  Ao lado de Oscar, Hulk foi um dos melhores em campo. Pelo jeito Mano Meneses encontrou o seu homem de frente, pois o Hulk da seleção foi o mesmo Hulk do Porto, onde é artilheiro e ídolo de Portugal. O atacante anotou dois gols e ainda participou do outro tento marcado contra.
  O segundo tempo veio e juntamente com ele uma nova Seleção Brasileira. Por incrível que pareça não houve substituições no intervalo, porém a postura dos jogadores estava totalmente diferente. Teve um relaxamento compreensível, já que estava com três gols de vantagem no marcador. Um relaxamento que deu mais espaço ao adversário, a Dinamarca esteve quase toda a etapa final no campo de ataque, a insistência deu resultado, um gol, e nada mais que isso. Final Jovens do Brasil 3, Dinamarca com muita coisa pra arrumar para a Euro, 1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente aqui

No seu rádio