Ouça Orli Ricardo

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Reportagem Especial: Desemprego no Brasil

Criatividade pode garantir o seu ingre$$o no Mercado de Trabalho
 

Campos Novos é uma cidade interiorana de aproximadamente 30 mil habitantes que fica situada no Meio-Oeste catarinense. Este município é apontado como um dos mais promissores do estado no quesito geração de empregos. Muito se deve ao número expressivo de empresas de grande porte que se instalaram por ali nesses últimos anos.


  Nomes como da Usina Hidrelétrica Campos Novos, Rovitex Indústria de Malhas, Unidade de Processamento de Suínos Copercampos-BRF - este em processo final de construção - além dos grandes comércios lojista que só aumentam na cidade são responsáveis por empregar milhares de pessoas direta e indiretamente. A palavra desemprego já não assusta o cidadão camponovense.


  No entanto, a realidade brasileira não segue este mesmo contexto. A mão-de-obra qualificada é, de certa forma, o que mais implica na conquista de um bom trabalho. E é esse o tema que o Economista Sérgio Luiz Castilho traz na sua coluna de hoje:

Sérgio Luiz Castilho: empresas estão optando pela criatividade.

  Certa vez ouvi um comentário assim “Emprego tem, o que falta é mão-de-obra qualificada”. Se este comentário for verdadeiro não temos desemprego, “TEMOS VAGAS”.

  Realmente a escassez de mão-de-obra qualificada é uma realidade. Isto se deve as mudanças que veem acontecendo no mercado de trabalho, e que, devido ao avanço tecnológico algumas profissões estão sendo extintas. Mas isso não acontece com o profissional. Este é lançado no mercado de trabalho, pois desde o analfabeto até o profissional mais graduado necessitam de um emprego.


  Imaginem no País inteiro quantos jovens terminam seus cursos superiores todos os anos. Só de recém-formados quantos milhares de jovens saem à procura do primeiro emprego, e irão se juntar aos outros milhares de profissionais que já estavam nesta luta. Destes moços, muitos vão contribuir para a queda do índice de desemprego no decorrer do ano, isto se deve às datas festivas onde muitas empresas abrem vagas para trabalho temporário, mas como o próprio nome diz é “TEMPORÁRIO”, e poucos, muito poucos irão conseguir uma efetivação. O restante vai voltar a se unir aos outros e continuar na luta por seu espaço, fazendo com que essa queda no índice seja ilusória ou propriamente “TEMPORÁRIA”.


  A realidade é, faltam empregos para a maioria da população e faltam também profissionais qualificados para as empresas. Por isso fique atento, se prepare, estude, se qualifique, pois nos dias de hoje com a falta de mão-de-obra qualificada, empresas estão optando pela criatividade, dando oportunidades a pessoas dinâmicas com vontade de aprender, mesmo que para isso seja necessário mudar de profissão e recomeçar, tirando proveito do que se aprendeu e agregando ao novo aprendizado.

Um comentário:

comente aqui

No seu rádio