Ouça Orli Ricardo

terça-feira, 5 de abril de 2011

Médico de Joaçaba será indiciado por homicídio culposo

Três pacientes morreram após fazer o exame de endoscopia na Conci Clínica Médica em maio de 2010

  A Polícia Civil em Joaçaba, no Meio-Oeste de Santa Catarina, apresentou nesta terça-feira a conclusão do inquérito que investiga a morte de três pacientes após exames de endoscopia, em maio do ano passado.
  O médico responsável pela clínica, Denis Conci Braga, será indiciado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e lesão corporal culposa. Na época, além das três mortes, outros dois pacientes tiveram complicações graves após o exame.
  Segundo o delegado Maurício Pretto, a causa das mortes está relacionada ao uso indevido da lidocaína. Para a polícia, o médico teria agido com imprudência — ao deixar de observar as normas técnicas da profissão — e também imperícia, por usar a substância em forma inadequada.
  Isso porque a lidocaína utilizada nos pacientes estava em forma de pomada, quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) orienta o uso de spray, na resolução 244 de 30 de agosto de 2005.
  Na visão de Pretto, foi esse uso indevido que causou a intoxicação e as complicações nos pacientes:
— Os exames realizados nas duas pacientes que morreram após o exame indicaram doses tóxicas e letais de lidocaína no sangue e no suco gástrico.
  O médico Denis Conci Braga, responsável pela Clínica Conci, teria dito à polícia que já teria realizado outros exames deste tipo e nunca registrou problemas.
  Uma das alegações da defesa de Conci é que a quantidade dos componentes da pomada de lidocaína ingerida pelos pacientes estivesse errada. Os laudos anexos ao inquérito mostram que as bisnagas continham a quantidade indicada na bula.
  O documento tem 300 páginas e será encaminhado ao Poder Judiciário ainda nesta terça-feira.

Fonte: Daisy Trombetta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente aqui

No seu rádio