Ouça Orli Ricardo

domingo, 6 de junho de 2010

CENTENÁRIO DO CORINTHIANS II

O que são 100 anos para quem é Eterno?

O importante acima de tudo é honrar a todo segundo as cores de uma nação

No futebol não existe um manual. Ganha-se as partidas pela forma de jogar, pelos esquemas táticos adotados e as estratégias utilizadas dentro do campo de jogo.
No campo oficial o cenário é sempre o mesmo, os personagens que se renovam constantemente (às vezes demoram um pouco né seu Romário?). Nessas mudanças surgem os meninos-homens, umas máquinas cada vez maiores e fortes, uma exigência brasileira visando uma boa exportação.
Quanto à torcida continua sem entrar em campo, está mais organizada e às vezes decepciona com lamentáveis atos de violência. Não se permite que levem o título de 12º jogador, pois rotineiramente iriam desfalcar seus times, os estádios estão às moscas, já estão recebendo testemunhas ao invés de público.
"Tem um time que é a cara da sua Torcida"
Ainda bem que existem exceções. Refiro-me a um caso de fidelidade inabalável. Guardada às devidas comparações tem um time que é a cara da torcida e vice-versa.
Não é bem uma torcida, é um bando! Todavia, não é um bando comum, é uma nação que ultrapassa a marca dos 30 milhões de pessoas. Brancos, negros, pardos, religiosos, ateus, lúcidos e atrapalhados que juntos compõem um verdadeiro bando de loucos.
Pra quem gosta de torcer, vibrar e sofrer não existe um passaporte “free” para se unir a essa multidão. O requisito único e obrigatório é a exigência de ser um Corintiano Nato. E quem não é, pode “virar a camisa”? Não é tão fácil assim. Se porventura acreditarem em ressurreição ainda há uma esperança.
Na verdade esse é um assunto que desafia a ciência, pois, não existe virar Corintiano, o torcedor já nasce com essa honra.
Essa nação é indescritível, fora do comum, só o torcedor alvinegro sabe o prazer que é torcer pelo Timão. Aqueles que observam de fora questionam, criticam e principalmente invejam as ações e reações da fiel torcida.
A diferença é tamanha que, essa desigualdade por vezes provoca estranheza nos torcedores comuns, sobretudo causa incômodos à quem espera que há qualquer hora algum corintiano desgarre-se do bando. Tolos, mal sabem que ao ouvirem das vozes alvinegras os gritos de que nunca irão te abandonar, principalmente advém das almas e corações fiéis que vibram e se orgulham do time do povo.
O Timão ainda não tem a maior torcida do Brasil, a que lidera o ranking está logo ali, é a torcida do “anti-corinthians” também conhecida como “contra-corinthians”. Essa não tem jeito, faz marcação cerrada, implica até nas manifestações de carinho e compreensão que se estabelece com o time. Incentivam a baderna, e ainda incriminam os aplausos pela dedicação e a hombridade identificada nos jogadores, os quais se despedem de cabeça erguida de um campeonato importante, porém a luta que tiveram até o fim representa o espírito alvinegro.

"Vivemos da emoção e o prazer de ser Corintiano"

O Bando se fortifica a cada dia. Brilha através dos olhos emocionados de seus seguidores, e não pelas estrelas que ostenta no escudo. Estas são supérfluas, são comerciais e meramente mercadológicas para o torcedor fiel. Diferentemente das demais torcidas não vivemos de títulos, vivemos da emoção e o prazer de ser Corintiano.

3 comentários:

  1. Parabéns orli pelo seu comentário, lindo texto pena que não é do meu time mas ainda vou ver um texto seu escrito sobre meu timão do coração......

    ResponderExcluir
  2. Certamente Adriano.. Vai doer no S2 mas faremos o possível pra realizarmos um bom trabalho para o amigo..
    O meu Grande Abraço

    ResponderExcluir
  3. PARABÉNS ORLI ADOREI TUA MATERIA MUITO MASSA MESMO,NINGUEM MELHOR QUE VC UM TORCEDOR VERDADEIRO PARA EXPRESSAR EXATAMENTE OQUE É SER UM TORCEDOR...BJAO

    ResponderExcluir

comente aqui

No seu rádio