Ouça Orli Ricardo

segunda-feira, 26 de abril de 2010

VIOLÊNCIA - Cidade do Interior na Mira da Criminalidade



Violência que afetava apenas capitais e metrópoles é realidade em pequenos municípios do Estado

 Um cidadão comum sente-se responsável pelo bem da sua família, pela segurança de seu lar, de seus filhos e dos bens materiais que possui. Porém, a cada dia aumenta a apreensão em manter essa integridade, devido aos índices de violência que se elevam no Brasil e no mundo. Roubos, assaltos e incluindo assassinatos são notícias diárias em todas as grandes cidades.
  As estatísticas que avaliam a segurança no país referente ao ano passado mostram uma pequena evolução nesse quesito. De acordo com o IGP (Índice Global da Paz) o Brasil ocupa o 85º lugar no ranking de 144 países, avançando cinco posições em relação ao IGP de 2008. A melhora se deve principalmente a uma ligeira redução no volume de importação de armas, percentual do Produto Interno Bruto (PIB) destinado a investimentos militares e ao número de agentes armados em relação à população
“Brasil lidera índices de homicídios de jovens por arma de fogo” 
 O Brasil também é o terceiro quando o critério abrange outras formas de homicídio na faixa etária entre 15 e 24 anos.
  Crimes mobilizam Moradores e Autoridades em Campos Novos
 Antes um problema identificado apenas em capitais e grandes metrópoles, hoje os crimes também fazem parte da realidade das cidades do interior.
  Especificamente em Campos Novos, localizada no Meio-Oeste, os índices elevados de violência dos últimos dias preocuparam os moradores e autoridades da cidade. Desde março, foram registrados diversos furtos e participações com o tráfico de drogas na região. Contudo, o que mais assusta a população é o alto número de assassinatos ocorridos no município, foram 4 nos últimos 40 dias.
  Nascida em Campos Novos, Larissa Pegoraro, 23 anos, não se lembra de ter passado essa situação antes. Larissa é mais uma moradora que teme a violência e a onda de crimes que vem ocorrendo na cidade. “Tenho medo! Não saio mais de casa à noite”, declara.
  O último caso de homicídio registrado pela PM ocorreu na noite desse sábado, 10, no bairro Nossa Senhora Aparecida. Alaor Alves de Souza, 26 anos, foi morto em sua residência ao ser atingido por um disparo de arma de fogo. O autor do crime estava num carro que estacionou em frente à casa de Alaor, ao ser chamado para fora a vítima foi surpreendida com um tiro. Alaor ainda com sinais vitais foi encaminhado até o hospital local, porém não resistiu e veio a óbito antes de receber atendimento médico.
  Durante os últimos dias, intensificou-se o serviço de investigação das Polícias Militar e Civil na busca dos envolvidos. Tal esforço resultou na captura da maioria dos criminosos, apenas o último caso segue sob inquérito, os demais já estão solucionados.
  Essa realidade impulsionou uma iniciativa da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados em parceria com a Câmara de Vereadores de Campos Novos. Na sexta-feira, 09, em Audiência Pública na Casa da Cultura, autoridades debateram os motivos que desencadeou o aumento da criminalidade, e discutiram soluções a fim de resolver os problemas de segurança no município.
“Um número maior de policiais já está circulando nas ruas da cidade” 
  Soldado Gilmar Marco Pereira atua na Polícia Militar a mais de 20 anos, e também é um dos coordenadores do Proerd (Programa Educacional de Resistência às drogas e à violência) na região de Campos Novos. Soldado Marco participou da Audiência da última sexta-feira e após as discussões entende que as ocorrências devem deixar em alerta a sociedade, porém, não precisa ninguém entrar em desespero.   “Não existe um pavor, uma situação descontrolada. Os casos trouxeram preocupação por ocorrerem coincidentemente num curto espaço de tempo, não cabe dizer que a cidade está violenta”, ressalta.
  A experiência que obteve juntamente ao Proerd, aliado aos dados dos últimos detentos da UPA (Unidade Prisional Avançada) de Campos Novos possibilita o policial ter uma opinião formada quanto a importância da família na vida dos jovens. “A família é fundamental na vida das pessoas. Dar bons exemplos, apoio aos estudos, aconselhar quanto às drogas, enfim, estar atuante nas decisões, contribui na formação de um indivíduo responsável e, ainda livra-o do caminho do crime”, completa.
  Nos próximos dias a Segurança Pública promete produzir novas estratégias que garantam ainda mais a tranqüilidade dos camponovenses.

  Link Relacionado:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente aqui

No seu rádio